top of page
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Geração de Empregos

No acumulado de 2022, até novembro deste ano, o segmento da fabricação de artigos de malharia e tricotagem apresentou um saldo de empregos de 1,6 mil vagas de trabalho. Ao todo, foram geradas 11,7 mil admissões e 10,1 mil desligamentos. Com isso, o setor apresentou uma variação de 2,15% no seu quadro total de trabalhadores.

No último mês, novembro, o desempenho do setor apresentou uma piora em relação ao mês imediatamente anterior, com um saldo de -0,3 mil, em novembro, e de 54, em outubro. Considerando os últimos 12 meses, a evolução do quadro de gerações de empregos no setor é considerada bem negativa em comparação aos demais grupos de atividade econômica, colocando o setor na 122° colocação entre os mais empregaram no ano.

Os estados que acumularam maior variação de emprego durante o ano foram: São Paulo (0,41 mil novas vagas geradas), Minas Gerais (0,32 mil) e Santa Catarina (0,3 mil).

54

Mês atual

-0,3 mil

Mês anterior

167

Ano

1,6 mil

Ranking

19/01/2023

Última atualização:

Fontes de informação e referências:

Composição deste setor:

Fabricação de meias, Fabricação de artigos do vestuário

Sempre trabalhamos com as informações mais recentes disponíveis, as análises e índices próprios são construídos a partir de fontes públicas.

  • Saldo de Empregos, dados do CAGED (Ministério do Trabalho);

  • Mercado de trabalho, dados da RAIS (Ministério do Trabalho);

  • Abertura de Empresas, dados do Ministério da Economia;

Abertura de Empresas

Durante o ano de 2022, foram abertas 48 empresas para atuar com a fabricação de artigos de malharia e tricotagem. No mês de dezembro, 4 novas empresas se somaram ao setor. Comparado ao mesmo mês do ano anterior, houve um queda de -50%.

Ao longo do ano, o desempenho do setor é positivo e a tendência de crescimento para os próximos meses é inferior aos demais setores. Em comparação com as demais atividades econômicas, a fabricação de artigos de malharia e tricotagem possui uma relevância bem pequena no cenário brasileiro de abertura de empresas.

No Brasil, a abertura de empresas do setor no ano foi liderada pelos seguintes estados: Minas Gerais (21 novas empresas), São Paulo (6) e Ceará (3).

Já no quesito de crescimento ao longo dos últimos doze meses, destacam-se: São Paulo (0,2% crescimento ao mês), Ceará (0% a.m.) e Ceará (0% a.m.).

2

Mês atual

4

Mês anterior

Acumulado no ano

48

Mercado de Trabalho

No Brasil, a fabricação de artigos de malharia e tricotagem emprega um total de 74,9 mil de pessoas, o que a coloca como uma atividade de relevância pequena, com uma participação de 0,05% no mercado de trabalho nacional.

Ao todo, são 4,4 mil estabelecimentos que geram estes empregos formais do setor. O segmento possui alta participação de micro e pequenas empresas com uma média de 17,1 funcionários para cada empresa.

O setor tem uma concentração regional considerada alta, sendo que os estados com maior participação no emprego são: São Paulo (36,2%), Minas Gerais (17,1%) e Santa Catarina (11,7%).

No segmento, existem 10,6 mil microempreendedores individuais, o que faz com que o setor tenha uma represenatividade alta em relação ao total de MEIs do Brasil. Além disso, a estrutura do segmento é marcada pela presença de microempreendedores individuais, com cerca de 14,19 MEI para cada cem trabalhadores.

81,16%

Estabelecimentos

4,4 mil

Participação MPE

Empregos

74,9 mil

Malharia e tricotagem

Tudo certo!

x
✓ SEGUIR ESTE SETOR
bottom of page