top of page
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Geração de Empregos

No acumulado de 2022, até novembro deste ano, o segmento da confecção de artigos do vestuário e acessórios apresentou um saldo de empregos de 16,9 mil vagas de trabalho. Ao todo, foram geradas 250,7 mil admissões e 233,9 mil desligamentos. Com isso, o setor apresentou uma variação de 1,16% no seu quadro total de trabalhadores.

No último mês, novembro, o desempenho do setor apresentou uma piora em relação ao mês imediatamente anterior, com um saldo de -3,7 mil, em novembro, e de 1,1 mil, em outubro. Considerando os últimos 12 meses, a evolução do quadro de gerações de empregos no setor é considerada bem negativa em comparação aos demais grupos de atividade econômica, colocando o setor na 196° colocação entre os mais empregaram no ano.

Os estados que acumularam maior variação de emprego durante o ano foram: Santa Catarina (5,4 mil novas vagas geradas), São Paulo (4,99 mil) e Paraná (2,23 mil).

1,1 mil

Mês atual

-3,7 mil

Mês anterior

47

Ano

16,9 mil

Ranking

19/01/2023

Última atualização:

Fontes de informação e referências:

Composição deste setor:

Confecção de roupas íntimas, Facção de roupas íntimas, Confecção de peças do vestuário, Confecção de peças do vestuário sob medida, Facção de peças do vestuário, Confecção de roupas profissionais, Confecção de roupas profissionais sob medida, Facção de roupas profissionais, Fabricação de acessórios do vestuário

Sempre trabalhamos com as informações mais recentes disponíveis, as análises e índices próprios são construídos a partir de fontes públicas.

  • Saldo de Empregos, dados do CAGED (Ministério do Trabalho);

  • Mercado de trabalho, dados da RAIS (Ministério do Trabalho);

  • Abertura de Empresas, dados do Ministério da Economia;

Abertura de Empresas

Durante o ano de 2022, foram abertas 3,6 mil empresas para atuar com a confecção de artigos do vestuário e acessórios. No mês de dezembro, 195 novas empresas se somaram ao setor. Comparado ao mesmo mês do ano anterior, houve um crescimento de 27,7%.

Ao longo do ano, o desempenho do setor é positivo e a tendência de crescimento para os próximos meses é muito alta. Em comparação com as demais atividades econômicas, a confecção de artigos do vestuário e acessórios possui uma relevância bem alta no cenário brasileiro de abertura de empresas.

No Brasil, a abertura de empresas do setor no ano foi liderada pelos seguintes estados: São Paulo (1352 novas empresas), Paraná (345) e Santa Catarina (323).

Já no quesito de crescimento ao longo dos últimos doze meses, destacam-se: São Paulo (21,9% crescimento ao mês), Sergipe (11,9% a.m.) e Minas Gerais (9,7% a.m.).

249

Mês atual

195

Mês anterior

Acumulado no ano

3,6 mil

Mercado de Trabalho

No Brasil, a confecção de artigos do vestuário e acessórios empregam um total de 1,5 milhões de pessoas, o que a coloca como uma atividade de relevância bem alta, com uma participação de 1,03% no mercado de trabalho nacional.

Ao todo, são 123,6 mil estabelecimentos que geram estes empregos formais do setor. O segmento possui alta participação de micro e pequenas empresas com uma média de 11,8 funcionários para cada empresa.

O setor tem uma concentração regional considerada baixa, sendo que os estados com maior participação no emprego são: São Paulo (22,8%), Santa Catarina (20,2%) e Minas Gerais (10,8%).

No segmento, existem 302,8 mil microempreendedores individuais, o que faz com que o setor tenha uma represenatividade bem alta em relação ao total de MEIs do Brasil. Além disso, a estrutura do segmento é marcada pela presença de microempreendedores individuais, com cerca de 20,79 MEI para cada cem trabalhadores.

78,81%

Estabelecimentos

123,6 mil

Participação MPE

Empregos

1,5 milhões

Artigos do vestuário e acessórios

Tudo certo!

x
✓ SEGUIR ESTE SETOR
bottom of page