• Henrique Reichert

Frequência de Desastres Ambientais no Brasil

A união de uma população exposta ou vulnerável com movimentos naturais da Terra tem ocasionado o que se chama desastre natural¹. A sensação é que nos últimos anos estas situações têm se tornado mais frequentes ou até mais graves.


O registro de desastres naturais passou a contar com critérios de classificação em 2012 (IN 2012), e estão registrados no Sistema Integrado de Informações sobre Desastres, que organiza os eventos de acordo com a Classificação e Codificação Brasileira de Desastres (COBRADE).


Considerando apenas os desastres naturais não biológicos (excluindo as ocorrências da pandemia), o Brasil registrou 31,9 mil eventos entre o período de 1991 a 2010. Deste total, cerca de 90% era climatológico ou hidrológico².


Nas Regiões Sul, Sudeste e Nordeste, os eventos de maior intensidade são resultantes de inundações bruscas ou de chuvas prolongadas e intensas, tais como as inundações de 2008 em Santa Catarina, que resultaram em 121 mil pessoas diretamente expostas e as inundações de Alagoas e Pernambuco, em 2010, com 178 mil afetados.


Já entre 2013 a 2022, há registros de 21,6 mil eventos naturais e não biológicos reconhecidos. Em média, são reconhecidos 2,4 mil eventos a cada ano. A disposição dos eventos anualizados mostra que os desastres relacionados ao Clima variam ano a ano, com menos ocorrências em 2014 e 2015. Nos últimos anos, estes casos estão estáveis em cerca de 2 mil eventos ao ano.


Já os casos meteorológicos, como as tempestades, têm sido mais frequentes nos últimos dois anos. Boa parte deste aumento deve-se aos eventos de julho de 2020 e de dezembro de 2021, em que diversas cidades de Santa Catarina e Bahia foram atingidas e entraram em situação de calamidade pública.


A partir da visualização do mapa, fica claro que os eventos de caráter climatológico ocorrem em todo o Brasil mas são predominantes no Nordeste Brasileiro. As inundações e demais desastres hidrológicos são as mais representativas no Norte país, enquanto que no Sul e Sudeste predominam eventos hidrológicos e meteorológicos.


Outra forma de verificar a ocorrência destes eventos é ao longo dos meses dos anos, especialmente para os casos não climáticos (estiagem e secas). É comum a impressão de que estes desastres ocorrem geralmente no verão, e de fato o mês de dezembro é o que apresenta o maior registro de eventos, ao lado de julho e junho.


Ocorrência de desastres naturais o Brasil entre os meses do ano


Portanto, estes casos não são essencialmente novidades dentro do histórico de eventos brasileiros. As tempestades, excesso de chuvas, deslizamentos geralmente ocorrem em julho ou ao final do ano, especialmente no Sul, Sudeste e em alguns estados do Nordeste. São milhares de famílias afetadas e também prejuízos muitos elevados em infraestrutura, unidades habitacionais e comerciais.


¹ Freitas, Carlos Machado de, Diego Ricardo Xavier Silva, Aderita Ricarda Martins de Sena, Eliane Lima Silva, Luiz Belino Ferreira Sales, Mauren Lopes de Carvalho, Maı́ra Lopes Mazoto, et al. 2014. “Desastres Naturais e Saúde: Uma análise Da Situação Do Brasil.”Ciência & Saúde Coletiva 19: 3645–56.


² CEPED-UFSC, Universidade Federal de Santa Catarina. Centro Universitário de Estudos e Pesquisas sobre Desastres. 2012. “Atlas Brasileiro de Desastres Naturais 1991 a 2010: Volume Brasil.”.

Interaja com os dados em dashboards dinâmicos

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

💸 Apoie este projeto

Assine nossa newsletter e tenha acesso às notícias mais relevantes da economia local.

📳 Contato

Novo projeto de dados na sua empresa? Entre em contato para que possamos te ajudar.