top of page

As 10 melhores ideias de empresas para o ano de 2023

No ano de 2023, a economia brasileira cresceu 7% em relação ao ano anterior, resultando na abertura de mais de 300 mil novas empresas. Neste post, vamos conferir as tendências e os setores que mais se destacaram neste ano.


1. Serviços de saúde


Sem dúvida, o maior destaque do ano são os serviços de saúde. A tendência de maior demanda por cuidados com a saúde mental e física apareceram em 2022 e ganham mais força este ano.

Ao todo, são 5,8 mil novas empresas que atuam na área de psicologia e psicanálise, um aumento de 53% em relação a 2022. Os atendimentos de fonoaudiologia e terapia ocupacional cresceram a um nível ainda mais acelerado, com 63% e 71% de crescimento, respectivamente.


Ainda no quesito da saúde, os serviços de profissionais da nutrição e de condicionamento físico também são destaques, com um crescimento acelerado e com mais de 3 mil novas empresas nestas atividades apenas neste ano.


2. Lavanderias

Os serviços pessoais representam um dos segmentos de maior crescimento recente no Brasil. Dentro deste segmento, foram abertas mais de 500 lavanderias no ano, um crescimento de mais de 70% em relação ao ano passado.


Muitas destas empresas atuam com auto atendimento via aplicativos, facilitando a operação da atividade.


3. Serviços de bufê e organização de feiras e exposições

Outras atividades que estão se beneficiando do retorno das atividades presenciais são as atividades de preparação de alimentos, especialmente às empresas, com um crescimento de 46% no ano, e os serviços de organização de feiras, congressos e feiras, que aumentaram em 26% o número de CNPJs no ano.


4. Atividades de Consultoria

Agregamos como atividades de consultoria os diversos serviços especializados que apresentam taxa elevada de crescimento no ano. Entre as atividades de maior destaque estão os serviços advocatícios, serviços de escritório e consultoria empresarial.


Estes serviços se beneficiam da retomada da atividade econômica, de modo geral, e da redução das atividades remotas, que incentiva os trabalhos em escritório e projetos de atuação local.


5. Serviços de limpeza

Nada melhor que uma casa limpa! As empresas de serviços de limpeza cresceram 44% neste ano e fortalecem o desempenho do segmento de serviços no Brasil.


6. Agência de viagens

O período da pandemia impactou significativamente o setor de turismo, mas também deixou aspectos positivos, como a maior busca por experiências turísticas e viagens. Aproveitando este movimento, as agências de viagens estão crescendo 28% no ano.


7. Marketing Direto

A importância da presença digital tem se tornado cada vez mais relevante e os serviços de marketing direto têm sido altamente demandados.


Ao longo dos cinco primeiros meses do ano, mais de 2,1 mil empresas de marketing foram abertas no brasil, um crescimento de 20% em relação ao ano anterior.


8. Veterinárias

Os serviços destinados a cuidados com os pets vinha em crescimento desde 2014, mas apresentou uma queda na atividade durante a pandemia. Passado este período, o setor de pets vem se fortalecendo, especialmente para atividades veterinárias.


Ao longo do ano, o crescimento das empresas de veterinária são de 20%, com 2 mil novas empresas se instalando no mercado brasileiro.


9. Tratamento de beleza

Os salões de beleza e os serviços de de tratamento de beleza, envolvendo as atividades de limpeza de pele, maquiagem, depilação e massagem seguem sua trajetória de crescimento dos últimos anos, com um avanço de 16% no ano.


10. Lanchonetes e Minimercados

A alimentação é sempre uma opção válida de negócio. Contudo, em 2023, os comércios de lanches e os minimercados estão mostrando crescimento acima da média dos demais negócios, com uma ampliação de cerca de 9% no ano.


Associando este desempenho positivo com uma temática saudável pode ser um diferencial para o sucesso.


Além disso, independente do setor, é importante considerar a presença digital da sua empresa. Do total de novas empresas neste ano, 22% tem sua atuação voltada para a internet. O percentual aumentou em relação ao ano passado (19%) e reforça a tendência de consumo online cada vez mais forte.

Comments


bottom of page