• Henrique Reichert

Retrospectiva, eficiência e ressaca #crvlnews010

Atualizado: 6 de fev.

Galera, estamos chegando ao fim de mais um ano e será a última vez em 2021 que você receberá esta news maravilhosa.


E o clima de fim de ano vem junto com o quê? Espero que não tenha pensado em Roberto Carlos ou em qualquer outra programação velha da TV. Fim de ano vem junto com a Pesquisa do Ano da Google Trends!


Esta sim é a melhor retrospectiva que pode existir, e o vídeo de divulgação da pesquisa deste ano tá super emocionante, vai lá conferir.


A pesquisa é tão boa que até retrata o público que ficou com saudade do Faustão ao registrar que um dos 'o que' mais procurados do ano foi 'O que é cringe?'. Neste quesito também teve o consagrado 'basculho' e outras coisas aleatórias, incluindo 'o que aconteceu com o WhatsApp?'.


Por ter ficado um tempo fora do ar, o app do Zuck também entrou na categoria acontecimentos do ano (???). Aparentemente não existem outros aplicativos de mensagem ou qualquer outra coisa pra se fazer na vida!


Outros destaques são como fazer 'horta em casa', 'brinquedos para gatos' e 'pix', o que representa um período ainda de adaptação ao trabalho remoto mas com mais naturalidade e com companheirinhos novos.


Tem várias outras categorias muito boas e interessantes, mas o único item que não dá pra deixar de comentar é o aparente interesse em 'como ser uma pessoa fria?'. Nas pesquisas relacionadas ainda há o ‘como ser uma pessoa fria e calculista’ e ‘como ser uma pessoa fria e madura’.




Economia Sem Política


Dinheiro pode comprar tudo? Segundo o Calle 13(se não conhece, fica a dica), não! E também não se pode comprar vitórias nos esportes. Recentemente tivemos investimentos pesados em times brasileiros de futebol, tais como o Flamengo, Atlético Mineiro e Palmeiras, todos com resultados positivos dentro dos campos.


Por outro lado, após alguns anos positivos, o Grêmio não conseguiu manter a eficiência de seus jogadores e acabou rebaixado, mesmo com o quarto elenco mais valioso do Brasil. Sabendo que não se trata de uma ciência exata, como avaliar a eficiência dos times? Qual o balanço entre investimentos e resultados?


Para avaliar esta eficácia dos times, consideramos os pontos obtidos em cada ano do campeonato e a média do valor do time dentro de uma Análise Envoltória de Dados, o que nos mostra as equipes que usaram melhor os seus insumos (a qualidade de seus jogadores) para alcançar os resultados.


O que os dados revelam? As configurações apresentadas pelos times, juntamente com os resultados, mostram uma curva com ganhos decrescentes de escala, ou seja, um investimento mínimo é requerido para se manter competitivo, mas, depois disso, mínimos ganhos exigem altos custos.


Com isso em mente, há várias formas de encontrar bons resultados, uma delas ocorre a partir de investimentos astronômicos. O caso do Flamengo de 2019 representa um time super valioso que conseguiu tirar o máximo de si.


Mas nem sempre o time mais caro será o mais eficiente, e também nem sempre a eficiência resultará no time campeão. Os casos do Internacional de 2020 e o Grêmio de 2008 são exemplos disso. Com times inferiores que muitas outras equipes, eles conseguiram pontuações elevadíssimas e mostraram ser extremamente eficientes. Você pode observar os dados neste link.


Plus


Considerando a mesma metodologia, de avaliar a eficiência dos resultados com base no valor do time, podemos fazer um ranking dos melhores técnicos que passaram pelo futebol brasileiro nos últimos tempos.


Este ranking acaba mostrando quais profissionais conseguiram fazer o melhor aproveitamento com base na qualidade de recursos disponíveis. O resultado você pode encontrar neste link.


Economia Regional


Já que estamos próximos do fim de um ciclo, vamos falar de outro fim, o das empresas. Este ano foram encerradas 1,3 milhão de empresas, este desempenho é pior que o último ano em dois aspectos: i) o valor é quantitativamente maior e ii) a taxa de empresas abertas para cada fechamento também é inferior.


Ao longo de 2020, houve 3,21 novas empresas para cada fechamento, enquanto este ano a taxa foi de 2,93. Não são números horríveis, pois lá em 2019 a taxa foi menor que estas duas.


Mas então porque isto é relevante? Primeiro, porque mostra uma renovação das empresas em função da pandemia, mostramos aqui o crescimento de empresas atuando pela internet, e, porque esta renovação vem perdendo fôlego e fazendo com que muitas destas empresas acabem fechando.


Segundo, que o olhar regional traz algumas diferenças consideráveis. Os estados do Sul, especialmente Rio Grande do Sul e Paraná possuem taxas elevadas de aberturas de empresas inferiores à média nacional, enquanto os estados do Norte possuem uma aceleração muito maior de abertura de empresas. Entre os maiores estados, destaca-se também o Rio de Janeiro como UF que apresenta um ganho no número de empresas bem elevado. Confira o nível dos estados.


Acadêmicos da ressaca (e de ressaca)


Quantas vezes você ficou bêbado este ano? E quantas vezes ficou arrependido?


A pesquisa mundial de drogas (Global Drug Survey) de 2021 traz vários indicadores sobre o uso de drogas, e um deles aborda justamente esta questão acima.


A Finlândia e Dinamarca lideram com folga o quesito de mais vezes bêbados - quase 25x no ano, e pouco remorso em relação a isso. Já a Austrália, Canadá, Reino Unido e Estados Unidos também ficaram em média mais de 20 vezes bêbados no ano, mas se sentiram mais constrangidos em relação a isso.


O Brasil e México se encaixam na lista de quem bebe pouco e ainda assim se arrepende bastante. Outra curiosidade que envolve estes dois países é em relação às razões para uso de drogas. Em ambos, o uso está mais relacionado a evitar dores e tristeza e menos relacionado à maximização do prazer, cenário praticamente inverso aos outros países, todos eles mais desenvolvidos que os latinos.


Por fim, segue um gráfico que dá dicas para as festas de fim de ano. As maiores razões para o arrependimento das bebedeiras são: beber muito e muito rápido (49%), misturar bebidas (11%) e estar acompanhado de pessoas que bebem demais (10%).


Então já sabe, não queime a largada e não misture as coisas. Esperamos que não comece o ano se arrependendo.





Quer mais informações?

Interaja com os dados em dashboards dinâmicos

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

💸 Apoie este projeto

Assine nossa newsletter e tenha acesso às notícias mais relevantes da economia local.

📳 Contato

Novo projeto de dados na sua empresa? Entre em contato para que possamos te ajudar.